Alopecia – Chega de queda!

Alopecia – Chega de queda!

Alopecia é uma condição que provoca perda excessiva de pelos e/ou cabelos em uma determinada área da pele. Existem vários tipos de alopecia e com diversas causas associadas ao seu desenvolvimento.

 

Os principais tipos de alopecia são:

  •  Alopecia Areata – Que tem grande participação auto-imune, onde suas células de defesa atacam suas próprias células (normalmente o estresse é o principal causador);
  • Alopecia Androgenética – Forma hereditária feminina ou masculina;
  • Alopecia Difusa – Relacionada a problemas endócrinos, medicamentosos e má nutrição;
  • Alopecia Seborréica – Devido ao aumento de sebo (ou gordura) no couro cabeludo que pode gerar caspas e favorecer a queda capilar;

A  Alopecia afeta ambos os sexos, todos os grupos raciais, podendo surgir em qualquer idade, no entanto, pesquisas têm demonstrado que 60% dos casos iniciam em jovens com menos de 20 anos de idade. Este fato é facilmente explicado pela correria do dia a dia e a busca pelo corpo perfeito, em que este grupo se enquadra, e muitas vezes acabam se submetendo a dietas restritivas, podendo acarretar em uma carência de substâncias essenciais para o bom desenvolvimento capilar.

Esse tipo de carência pode ser suplementado com aminoácidos, vitaminas e minerais. O cabelo é composto por até 60% de aminoácidos e uma dieta inadequada pode levar ao enfraquecimento dos fios, ocasionando a queda capilar.

Bons hábitos alimentares, prática de atividades físicas e a busca por uma qualidade de vida, minimizando fatores estressantes, colaboram para o equilíbrio benéfico do corpo.

Para maiores informações consulte um de nossos farmacêuticos ou outro profissional da saúde.

Fonte:
1. www.sdb.org.br (sociedade brasileira de dermatologia); 2. www.scielo.br/pdf/abd/v80n1/v80n01a09.pdf (Artigo de revisão)

 

Prepare chás refrescantes neste verão

Prepare chás refrescantes neste verão

Bebida é fácil de fazer e ajuda a manter a hidratação do corpo

Sultana 2 (Versão brasileira)

Este chá que é a cara do Brasil leva açaí, guaraná em pó e mate solúvel. Não se esqueça de servir bem gelado. Confira a receita:

Ingredientes
1 polpa de açaí (100g)
1 colher de sobremesa de guaraná em pó
1 colher de chá de Mate solúvel
1 copo de água gelada

Modo de preparo
Bater todos os ingredientes no liquidificador e servir bem gelado.

 

Chá verde com maçã e hortelã

  • 300 ml de água fervente – 1 saquinho de chá verde – 4 raminhos de hortelã fresca – 100 ml de suco de maçã sem açúcar – 1 colher de sopa de suco de limão
  • Modo de preparo
  • Derrame a água fervente sobre o saquinho de chá e coloque 2 raminhos de hortelã. Deixe esfriar antes de acrescentar os sucos de maçã e limão. Leve a geladeira e depois sirva com os 2 raminhos de hortelã.
  • Rendimento
  • 1 porção
  • Total
  • 53 calorias

Tunisian Tea

O toque especial deste chá são as nozes. Com o chá verde e a hortelã, ele é perfeito para relaxar em um quente fim de tarde. Confira a receita:

Ingredientes:
1 colher se sopa de chá verde
1 ramo de hortelã
Açúcar a gosto
1 punhado de nozes

Modo de preparo
Em uma chaleira coloque a hortelã, o chá verde e o açúcar em ½ litro de água quente. Torre as nozes em uma assadeira adstringente sem nenhum condimento. Deixe tampado por 8 minutos e depois coloque as nozes picadas. Leve a geladeira e sirva bem gelado

 

 

Criança pode ter AVC: médico explica em quais casos e por que acontece

Criança pode ter AVC: médico explica em quais casos e por que acontece

O AVC (acidente vascular cerebral) é mais comum em pessoas acima dos 55 anos, mas, dependendo dos fatores de risco, pode acontecer em qualquer idade, inclusive adolescentes e crianças. Segundo o neurologista André Lima, especialista na prevenção do AVC, entre as principais causas do AVC estão diabetes, hipertensão, colesterol aumentado, tabagismo, uso de bebidas alcoólicas e sedentarismo. “Uma pessoa que fuma tem 50% mais chances de ter o problema, tanto o hemorrágico (por extravasamento de sangue em uma parte do cérebro) como o isquêmico (falta de sangue em uma parte do cérebro)”, afirma.

No caso do AVC em crianças, a causa é a anemia falciforme, que faz com que as hemácias produzidas pelo organismo tenham a forma de uma foice, causando obstrução dentro das artérias e levando ao AVC. Já entre os jovens, havendo algum dos fatores de risco, o problema pode acontecer. E quem teve AVC quando criança, tem mais chances de ter novamente quando mais velho.

Dicas para prevenir

Segundo o médico, a melhor forma de prevenção é a conscientização sobre a importância da adoção de hábitos saudáveis no dia a dia. “Podemos comparar nossas artérias ao encanamento da nossa casa. Se jogarmos muita gordura pela pia da cozinha, provavelmente, com o tempo, os canos vão entupir mais rápido que a tubulação que não tem gordura. É o que acontece com o nosso corpo – os vasos sanguíneos ficam entupidos, provocando a ineficiência da circulação do sangue no cérebro”, compara.

Ele orienta a população a tratar a pressão alta, colesterol e diabetes, além de manter uma alimentação saudável, com frutas, verduras e carnes brancas, somadas à prática de exercícios físicos e ao fim do tabagismo.

Sintomas do AVC

Caso a pessoa tenha um AVC, ele diz que o atendimento rápido é essencial. Para isso, é importante ter atenção aos sintomas e procurar um hospital o mais rápido possível assim que notar algum sinal como perda de força em metade do corpo, fala arrastada e face torta. “O início do tratamento deve ser feito em até 4h30”, explica.

A cura irá depender do tipo de AVC e do tratamento adequado. Se o paciente for socorrido a tempo, o risco de morte é reduzido e a recuperação pode acontecer sem deixar sequelas.

Fonte: www.bolsademulher.com.br

5 tipos de seios: descubra qual o seu e como deixá-los perfeitos

5 tipos de seios: descubra qual o seu e como deixá-los perfeitos

Cada tipo de corpo exige um cuidado específico, seja para consertar falhas que podem te incomodar ou valorizá-lo ainda mais. Com os seios não é diferente – importantes para autoestima de muitas mulheres, eles podem ter uma série de formatos e necessidades diferentes. Você sabe de que tipo é o seu? Antes de conferir as dicas, identifique as imagens que mais se parecem com o seios e confira as melhores técnicas, truques, roupas e exercícios para deixá-los incríveis.

Tipos de seios e cuidados para cada um

Seios caídos

  • Quando a aréola está na mesma direção da dobra de baixo do peito, os seios já são considerados caídos.

Melhores sutiãs: os modelos push-up, meia-taça e balconê são os que mais ajudam a levantar os seios.

Como levantar os seios sem silicone?

O passo principal é investir em exercícios que fortaleçam a região. Embora os seios mesmo não possam ser trabalhados, ao exercitar a musculatura em volta você consegue deixá-los mais firmes. Mas é preciso paciência: “A musculação é uma atividade de longo prazo, que requer continuidade. Os resultados começam a aparecer depois de três ou quatro meses”, explica o personal trainer Oswaldo Langella.

Seios espalhados

  • Ficam mais afastados um do outro e a distribuição do volume ultrapassa a largura das costelas. Quem tem peitos naturalmente grandes geralmente tem esse formato.

Melhores sutiãs: qualquer modelo pode ser utilizado, mas vale apostar nos que tem as taças mais juntas, sem espaço na região central. Assim, você alinha os seios à largura do tronco.

Dicas de moda

Evite modelos tomara-que-caia, que tendem a achatar e espalhar ainda mais os seios. Peças estruturadas, com decotes em V, por exemplo, fazem com que eles pareçam mais juntinhos.

Seios firmes

  • A aréola fica mais centralizada e acima da dobra da parte de baixo do peito. Geralmente pouquíssimo flácido, esse tipo de seio tem o volume distribuído igualmente, o que deixa o formato mais arredondado.

Melhores sutiãs: como não precisam de muita sustentação, qualquer modelo de sutiã pode ser usado. Se quiser dar volume, vale apostar nos modelo com bojo-bolha.

Seios juntos

  • Quem tem silicone ou tem os seios grandes muito firmes provavelmente tem esse formato. Os seios juntos podem formar uma espécie de vinco entre eles e têm as aréolas bem centralizadas.

Melhores sutiãs: esse formato também não exige muita sustentação, portanto, qualquer modelo de sutiã cai bem.

O que vestir?

Se a sua intenção é parecer mais magra, fuja de tecidos muito grossos ou texturizados, que vão unificar o volume da região e fazer com que você pareça maior. Vale apostar em peças bem fluidas e tomara-que-caia.

Seios flácidos

  • Comum em quem perdeu muito peso, passou por uma gestação ou tem seios naturalmente grandes, que são mais pesados. A aréola geralmente fica na altura da dobra da parte de baixo do peito.

Melhores sutiãs: o ideal é procurar por modelos que dêem bastante sustentação e levantem os seios, como os modelos push-up ou com bojo-bolha.

Como acabar com flacidez nos seios

A flacidez acontece quando se perde a tonicidade da pele, que fica com aquele aspecto de sobra. Mulheres que passaram por uma perda de peso grande ou período de amamentação estão mais sujeitas a esse problema e não tem jeito: é fundamental praticar atividades físicas regularmente para perder o excesso de gordura e fortalecer a pele. Outros procedimentos estéticos, como radiofreqüência e carboxiterapia são também boas opções  para tratar o problema.

Fonte: www.bolsademulher.com.br

Cafeína e Sono

Cafeína e Sono

Sem um gole de café pela manhã, sou indigente. Consigo trabalhar, falar o essencial e até raciocinar, mas em câmera lenta. É o primeiro cafezinho que me devolve a vontade de viver.

Um estudo recém-publicado na revista Science Translational Medicinemostra que, além das propriedades euforizantes, o café consumido à noite perturba o sono.

Até aí, minha avó sabia. O mérito de Burke e colaboradores, da Universidade de Zurique, foi elucidar os mecanismos moleculares por meio dos quais uma quantidade de cafeína equivalente a dois expressos, interfere com o ciclo circadiano – conjunto de reações do organismo que se repetem a cada 24 horas – controlador dos períodos de sono e vigília.

A cafeína é antagonista dos receptores da adenosina, substância essencial para que o sono se instale no cérebro.

Existem dois tipos de receptores cerebrais para a adenosina: o primeiro é considerado inibidor de sua ação (portanto do sono), enquanto o outro é facilitador.

A quantidade média de cafeína ingerida por qualquer um de nós, diariamente, é suficiente para antagonizar até 50% de ambos receptores, ação que nos deixa mais alerta, combate a fadiga, prolonga o tempo de vigília e reduz a profundidade do sono.

Mulher Tomando Café

Como dormir é essencial para a saúde e a qualidade de vida, os ciclos de sono e vigília são regulados por uma sintonia fina existente entre os processos homeostáticos e os circadianos.

A necessidade homeostática de sono se acumula no decorrer do dia e se dissipa enquanto dormimos; já o relógio circadiano determina a hora de pegar no sono.

O marcador mais preciso para avaliar a necessidade de sono são as ondas lentas (ondas delta) que aparecem no eletroencefalograma, com frequências de 0,75 a 4,5 hertz. Como a cafeína atenua a atividade dessas ondas e bloqueia os receptores da adenosina, sua influência na homeostasia do sono havia sido sugerida há vários anos. O grupo de Burke investigou se ela também afeta o relógio circadiano.

Usando um protocolo rígido por um período de 49 dias, os autores quantificaram o efeito de 200 mg de cafeína, ingeridas 3 horas antes de ir para a cama, na produção de melatonina, o hormônio que controla o ritmo circadiano de diversos processos, entre os quais o de sono-vigília.

Verificaram que a cafeína atrasa 40 minutos no ritmo da melatonina, quase a metade do retardo causado pela exposição à luz brilhante.

Os autores concluem que as alterações provocadas pela cafeína nos mecanismos que regulam o relógio circadiano, podem contribuir para a alta incidência de distúrbios do sono na sociedade moderna. Além disso, a interferência da cafeína com as ondas de baixa frequência tem efeito negativo nas funções cerebrais que dependem da integridade dessas ondas.

Por outro lado, a cafeína pode ajudar a enfrentar o “jet lag” das viagens intercontinentais e os que sofrem de alguns distúrbios do ciclo circadiano de sono-vigília.

Para conciliar o prazer e as ações benéficas do café com a necessidade de dormir, costumo evitar o cafezinho nas oito horas que precedem o horário de ir para a cama.

Fonte: www.drauziovarella.com.br