Veja dicas de exercícios para treinar o equilíbrio, a resistência e a força

Você sente dor após fazer atividade física? Será que isso é sinal de algo errado? A reumatologista Fernanda Lima explica que a dor muscular depois de se exercitar pode ser normal no início ou depois que a pessoa muda a intensidade do treino, o que não deve ser motivo para desanimar. Porém, se essa dor aparecer durante o exercício, é preciso ficar atento para avaliar se o movimento não está sendo feito do jeito errado.

A médica alertou ainda que é fundamental respeitar o período de descanso após os treinos para recuperar os músculos, como maneira de evitar lesões.

People exercising

Para mostrar como melhorar os resultados da atividade física, segundo o especialista João Paulo Pachela, é possível melhorar a resistência, a força e o equilíbrio com exercícios simples que podem ser feitos em casa.

Vale ressaltar, no entanto, que cada pessoa pode ter uma facilidade diferente – quem luta, por exemplo, pode ter mais resistência e força; já quem surfa tem mais equilíbrio, assim como quem faz ioga. Mesmo assim, dá para treinar cada uma dessas habilidades.

Uma das dicas é, com um step, colocar as duas mãos e movimentar as pernas para frente e para trás, como uma maneira de melhorar a resistência. Para a força, um exercício em que é preciso colocar as pernas flexionadas para frente e para trás. Há ainda a possibilidade de treinar o equilíbrio, mantendo-se em pé em uma perna só. Vale lembrar, porém, que é fundamental sempre procurar um profissional antes de começar a fazer atividade física.

 

Acesse nosso site clicando AQUI!

23. setembro 2014 por admin
Categorias: Sem categoria | Deixe um comentário

Especialistas diferenciam adoçantes e indicam o melhor para cada caso

Veja propriedades de sucralose, stévia, aspartame, sacarina e fenilalanina.

Na hora de adoçar o café, chá ou suco, você prefere açúcar ou adoçante? A maioria das pessoas sente diferença no paladar entre os dois, mas a boa notícia é que no mercado há vários tipos de adoçantes, que podem baixar as calorias da sua dieta e ajudar você a emagrecer ou manter o peso.

url1889

O endocrinologista Alfredo Halpern e a nutricionista Elaine Moreira diferenciaram adoçantes como sucralose (originária da cana-de-açúcar), stévia (vinda de uma planta), aspartame, sacarina (à base de petróleo) e fenilalanina. A Associação Brasileira da Indústria de Alimentos para Fins Especiais e Congêneres (Abiad) tem uma calculadora que avalia o limite máximo de consumo por dia de cada adoçante (aspartame, acessulfame, sacarina, ciclamato de sódio, sucralose e stévia), de acordo com o peso corporal da pessoa.

Os adoçantes nasceram para adoçar a vida de quem não podia consumir açúcar, como os pacientes diabéticos. Com o tempo, o produto foi introduzido na alimentação de quem quer manter o peso ou reduzi-lo. Segundo a nutricionista Elaine Moreira, uma colher de chá de açúcar tem cerca de 100 kcal, enquanto um sachê de adoçante tem 20 kcal. Já uma taça de gelatina normal tem 67 kcal, enquanto a diet tem apenas 5 kcal. Além disso, uma porção de achocolatado normal tem 80 kcal, contra 37 do diet; e uma porção de geleia tem 70 kcal, contra 25 kcal da diet. Ao longo de um ano, essa diferença pode ser vista na balança: até 5 kg a mais.

O aspartame é o único tipo de adoçante que não pode ir ao forno. Isso porque ele é uma proteína que perde suas propriedades quando aquecido. Segundo a especialista, mulheres grávidas também devem evitar adoçantes à base de sacarina. E, para quem quer consumir zero caloria, a dica são os adoçantes líquidos.

O Ministério da Saúde indica o uso de adoçantes como parte do tratamento em diabéticos, em pessoas com excesso de peso ou que precisem controlar o ganho de peso. Nesses e em outros casos, porém, o uso diário excessivo ou sem recomendação pode trazer prejuízos à saúde. Por isso, o ministério recomenda sempre o consumo de alimentos in natura.

19. setembro 2014 por admin
Categorias: Sem categoria | Deixe um comentário

Resfriado que persiste por 10 dias ou mais pode ser sinusite

 Fique atento aos sintomas para facilitam o diagnóstico precoce

 A sinusite é a inflamação da camada que reveste a cavidade nasal e os seios da face, a mucosa. O termo mais correto é rinossinusite. A mucosa nasal possui tipos específicos de células que contêm cílios, que auxiliam a filtrar as impurezas do ar, e glândulas que produzem o muco. O muco tem o papel de umidificar o ar, evitar que microorganismos como bactérias e vírus se liguem ao nosso organismo e auxiliar na limpeza de substâncias como partículas de poeira. Os cílios se encarregam de carregar o muco para a parte posterior da cavidade nasal, onde será eliminado.

Os seios da face (ou paranasais) são espaços preenchidos por ar no interior dos ossos da face, que são preenchidos por mucosa muito semelhante à mucosa nasal. A mucosa dos seios também produz muco, que é drenado para dentro da cavidade nasal através de orifícios. A origem da sinusite se dá justamente no bloqueio desta passagem. Problemas anatômicos e inflamação da mucosa próxima aos orifícios são os principais responsáveis.

diferencias-entre-el-resfriados-comun-y-la-gripe-1

Dentre as alterações anatômicas, podemos citar o desvio do septo nasal e a presença de pólipos nasais. Corpos estranhos, como fragmentos dentários no interior dos seios, também podem levar a uma inflamação da mucosa. Isso usualmente ocorre após extração dentária e cirurgias para implante dentário. Já a inflamação da mucosa próxima aos orifícios ocorre nas seguintes situações: processos alérgicos e infecciosos.

A rinite alérgica causa uma inflamação, com consequente edema (inchaço) da mucosa nasal, que, por sua vez, não permite a drenagem do muco. Quadros infecciosos virais, como gripes e resfriados, também levam a esta inflamação. Sem drenagem, o muco se acumula dentro dos seios, criando um meio de cultura para bactérias, que, ao se proliferar, levam à sinusite.

Algumas situações facilitam a ocorrência das sinusites. Tanto o tabagismo ativo quanto o passivo são fatores de risco comprovados. Portadores de doenças como a fibrose cística, que altera as características do muco, e a discinesia ciliar, que prejudica a função dos cílios, apresentam quadros recorrentes de sinusites.

A sinusite pode ser aguda ou crônica, dependendo da duração. Sinusite aguda é aquela que dura até 3 meses. Os sintomas da sinusite aguda e crônica são semelhantes, mas no quadro agudo eles costumam ser mais intensos, com febre, cansaço, dores pelo corpo. Na sinusite crônica, predominam sintomas nasais e tosse.

Identificar os sintomas antecipa tratamento

Os sintomas que definem as sinusites são: obstrução nasal (nariz entupido), secreção nasal (catarro que escorre pelo nariz ou pela garganta), redução ou ausência do sentido do olfato (hiposmia) e dor-de-cabeça, febre e tosse. Nas crianças, predominam os sintomas de febre e tosse. Como podemos ver, a sinusite se manifesta de forma muito semelhante aos quadros virais, como resfriado e gripe. O que diferencia as duas situações é a duração e a intensidade dos sintomas.

Devemos ficar atentos para a sinusite quando os sintomas de um resfriado persistem após 10 dias ou pioram após o quinto dia. Neste momento, a avaliação do otorrinolaringologista pode confirmar o diagnóstico, que é clínico, baseado nos sintomas e no exame físico. O exame de raio-x da face não é necessário para o diagnóstico da sinusite. O especialista então avaliará a necessidade do uso de antibióticos.

O uso recorrente de antibióticos para sinusite recorrente ou crônica também deve ser investigado. Neste caso, exames adicionais, como tomografia da face, podem ser necessários.

Tanto nos casos alérgicos quanto nas infecções virais, o tratamento visa amenizar os sintomas e evitar a progressão para a sinusite. Mesmo quando instalada a doença, casos leves e iniciais podem ser tratados com corticóides nasais e lavagem nasal com soro fisiológico. A tendência atual é do uso cada vez menor de antibióticos, que devem ser indicados com cautela pelo risco da resistência bacteriana. Uma informação importante é que os corticóides nasais são medicações seguras, liberadas para crianças a partir dos 2 anos de idade, e que não causam os efeitos colaterais que os corticóides orais podem gerar. E quando o especialista indicar o tratamento com antibiótico, o tratamento precoce levará a uma recuperação mais rápida.

18. setembro 2014 por admin
Categorias: Sem categoria | Deixe um comentário

Incluir 10 gramas por dia de fibras na alimentação ajuda intestino e coração

Brasileiro consome em média 15g diárias, enquanto o indicado são 25g.

O brasileiro consome em média 15 gramas de fibras por dia, enquanto o recomendado são 25g. Por isso, incluir 10 g diárias na sua alimentação pode fazer bem para o intestino, para a saciedade e até para o coração, reduzindo o colesterol ruim. Atualmente, a indústria já acrescenta fibras em produtos como refrigerante, molho de tomate, barrinhas de cereais e até doces como sorvetes, bolos e geleias.

Segundo o endocrinologista Alfredo Halpern e a nutricionista Milana Dan, sempre que possível, é indicado não descascar as frutas, os legumes e as verduras. Essa é uma maneira simples de aumentar a ingestão de fibras.

alimentosricosemfibras

Os especialistas também diferenciaram as fibras solúveis das insolúveis. As primeiras são mais comuns em frutas como laranja, goiaba e maçã, mas também estão presentes em leguminosas como lentilha e feijão, em hortaliças e cereais. Já as insolúveis são encontradas em verduras, legumes, grãos integrais como arroz, macarrão e pães, e farelos de cereais como milho e trigo. A nutricionista também destacou que os alimentos perdem fibras com o cozimento, e sempre que for possível é melhor cozinhá-los com casca.

Ao substituir duas fatias de pão francês por pão integral de forma, passamos de 1,6 grama de fibra para 3,4 gramas. E acrescentando uma colher de sopa de aveia à nossa alimentação, ganhamos mais 2,5 gramas.

Gostou? Acesse nosso site clicando AQUI!

16. setembro 2014 por admin
Categorias: Sem categoria | Deixe um comentário

Médicos dão dicas para evitar manchas, sardas e cicatrizes na pele

A pele do corpo é o nosso “cartão de visitas”, que deveria estar sempre bem apresentável, mas infelizmente esse é um prato cheio para manchas, sardas e cicatrizes. Alguns sinais apenas incomodam e vão embora, enquanto outros demoram anos ou nunca saem naturalmente. E quem pega cor rápido no verão também costuma manchar mais facilmente – portanto, deve redobrar os cuidados.

 

Segundo os dermatologistas Sérgio Schalka e Márcia Purceli, algumas dicas para uma pele livre de manchas são: usar filtro solar diariamente, mesmo no inverno; cuidar também com as luzes de luminárias, pois podem manchar; e prestar atenção se a pele fica vermelha com o uso de ácidos ou clareadores, e não tomar sol no local enquanto durar o tratamento.

aprenda-a-diferenciar-os-tipos-de-manchas-na-pele

Os médicos falaram, ainda, sobre sardas brancas (leucodermia), melanose solar, melasmas – mais comum entre as mulheres – e outros tipos de manchas. Pessoas com pele clara, quando recebem a radiação solar, não têm a mesma proteção de indivíduos bronzeados, pois produzem menos melanina. Já pessoas de pele morena são naturalmente mais protegidas, mas também são mais suscetíveis a manchas.

Para evitar coceiras, ressecamentos e rachaduras na pele, os dermatologistas também indicam manter sempre uma boa hidratação. O ideal é passar o hidratante após o banho, quando a pele ainda estiver úmida, para absorver bem o produto.

 

Acesse nosso site clicando AQUI

15. setembro 2014 por admin
Categorias: Sem categoria | Deixe um comentário

Obesidade em mulheres

A obesidade é uma doença e deve ser tratada como tal. E de acordo com o médico nutrólogo, Dr. José Alexandre Portinho, existem alguns fatores que proporcionam um maior desenvolvimento da obesidade especificamente em mulheres.

 

Ele explica que naturalmente a mulher já possui uma porcentagem de gordura corporal maior. Mas, além disso, fatores como a menopausa, distúrbios hormonais e até a síndrome de ovários policísticos podem desencadear obesidade. “Por isso é de suma importância consultar regularmente o seu médico e sempre fazer check-up para verificar o que tem causado a obesidade ou poderá causar futuramente”, afirma o médico.

obesidade_66617920

Como prevenir a obesidade

O bem-estar físico envolve a prevenção de diversas doenças, inclusive a obesidade. Dr. José Alexandre Portinho ainda fala que ter um sono adequado e disposição para exercícios físicos também ajudam. “Ainda é importante aprender a preparar o básico de pratos nutritivos com alimentos saudáveis e hábitos de horários corretos para uma boa alimentação; e essencial: a boa mastigação”, detalha.

 

Obesidade em mulheres

A obesidade também pode ser prevenida por uma série de atitudes para manter hábitos de vida saudáveis, como por exemplo:

 

Fazer atividade física com frequência;

Fracionar as refeições em 5 ou 6 vezes por dia, procurando estabelecer sempre os mesmos horários para cada refeição;

Aumentar a ingestão de alimentos com fibras, que estão presentes nos legumes, verduras e frutas;

Evitar o consumo rotineiro de alimentos com muito açúcar como os doces, sorvetes, tortas, pudins e refrigerantes;

Muitos alimentos industrializados devem ser evitados por possuírem alto teor de sal e gorduras saturadas, como é o caso dos embutidos (salame, linguiça, salsicha, presunto, mortadela etc);

Evitar os molhos prontos como maionese, patês, ketchup, etc;

Para consumo dos derivados do leite, dar preferência ao consumo dos desnatados e com pouco sal;

Se for consumir carnes, evitar as gordurosas e preferir as assadas, cozidas ou grelhadas. O consumo de peixe deve ser feito com a frequência de 2 vezes por semana;

Beber bastante água, pelo menos 2 litros por dia.

 

Consulta ao especialista

 

A consulta com o médico nutrólogo é importante para avaliar os efeitos benéficos e nocivos que possam causar os alimentos, para direcionar uma terapêutica alimentar e orientação de hábitos e vida saudável individualizando, de acordo com perfil metabólico de cada paciente.

 

Dr. José Alexandre Portinho detalha que através da consulta médica, o profissional poderá solicitar exames específicos para o diagnóstico de possíveis erros alimentares que possam estar contribuindo para o acumulo de excesso de tecido gorduroso no organismo.

 

“Além disso, é muito comum a associação de obesidade com outras doenças crônicas como diabetes, hipertensão arterial, síndrome metabólica, dislipidemia (alteração do colesterol) e osteroporose. Nesses casos, o médico nutrólogo está habilitado para fazer o tratamento e o acompanhamento dessas doenças crônicas, concomitante à terapia alimentar estabelecida individualmente para cada paciente”, conclui.

12. setembro 2014 por admin
Categorias: Sem categoria | Deixe um comentário

Depressão: O Mal do Século

A depressão é o quinto maior problema de saúde pública do mundo e é considerada uma doença que pode ser caracterizada como o “mal do século”. A OMS (Organização Mundial da Saúde) define depressão como um transtorno mental comum, caracterizado por tristeza, perda de interesse, ausência de prazer, oscilações entre sentimentos de culpa e baixa autoestima, além de distúrbios do sono ou do apetite. Também há a sensação de cansaço e falta de concentração. A doença pode ser de longa duração ou recorrente. Na sua forma mais grave, pode até mesmo levar ao suicídio. Mais de 350 milhões de pessoas sofrem de depressão em todo o mundo. Ela pode atingir qualquer pessoa, independente do seu sexo, idade, saúde física ou classe social, ela acomete inclusive as celebridades.

Vamos relembrar casos conhecidos de muitos famosos, que fizeram um esforço tamanho para alcançar o sucesso e, quando conseguiram, acabaram se suicidando achando ser esta a “única saída” ou para “se livrar” do sofrimento, sentimentos estes provocados pela própria depressão, são eles:

Getúlio Vargas — político e presidente do Brasil (1930–1945; 1950–1954), ele fez uso do suicídio e de sua nota de suicídio (a “Carta Testamento”),

Vincent van Gogh — pintor pós-impressionista holandês,

George Eastman — criador do filme 35 mm e fundador da Kodak,

Dalida — foi uma popular cantora, que fez carreira na França,

Kurt Cobain — o líder do grupo de rock Nirvana se matou em 1994 e deixou uma nota primeiramente dirigida a seus fãs onde expunha suas razões para a morte,

Leila Lopes – em dezembro de 2009, a atriz Leila Lopes foi encontrada morta em seu apartamento, no bairro do Morumbi, em São Paulo,

Robin Williams – sofria de depressão severa e lutava contra uma doença bipolar, o vício da cocaína e do álcool. As autoridades norte-americanas consideraram desde o começo a hipótese de suicídio como causa possível de morte e suspeita de asfixia devido a enforcamento.

A depressão é uma doença reversível, ou seja, há cura completa se tratada adequadamente com medicação, psicoterapia e atividade física.

Recomendações

Depressão é uma doença como qualquer outra. Não é sinal de loucura, nem de preguiça nem de irresponsabilidade. Se você anda desanimado, tristonho e acha que a vida perdeu a graça, procure assistência médica. O diagnóstico precoce é o melhor caminho para colocar a vida nos eixos outra vez.

Depressão pode ocorrer em qualquer fase da vida: na infância, adolescência, maturidade e velhice. Os sintomas podem variar conforme o caso. Nas crianças, muitas vezes são erroneamente atribuídas à características da personalidade e, nos idosos, ao desgaste próprio dos anos vividos.

A família dos portadores de depressão precisa manter-se informada sobre a doença, suas características, sintomas e riscos. É importante que ela ofereça um ponto de referência para certos padrões, como a importância da alimentação equilibrada, da higiene pessoal e da necessidade e importância de interagir com outras pessoas.

Dicas

Não se deixe abater pelos problemas;

Seja mais otimista;

Melhore sua auto-estima;

Controle a ansiedade;

Faça exercícios físicos;

Mantenha uma alimentação saudável;

Evite bebidas alcoólicas;

Durma bem.

10. setembro 2014 por admin
Categorias: Sem categoria | Deixe um comentário

Bichos dorminhocos são saudáveis?

Essa dúvida persegue muitos donos de animais. A dica é ficar atento: o sono patológico, que acusa uma doença, sempre está associado a outros sintomas

O sono dos animais é diferente do sono dos humanos. Ao contrário de nós, que necessitamos dormir oito horas contínuas, os animais tiram várias sonecas ao longo do dia. Por isso, temos dificuldade de identificar a sonolência anormal das mascotes.

A secretária Denair Fonseca, 36 anos, tem uma poodle preguiçosa. Nina, 2 anos, dorme o dia inteiro. “De manhã, quando acordamos, ela levanta e dorme de novo. Quando saímos, ela dorme novamente”, conta a dona. Mesmo com muito movimento na casa, a cadela não se perturba. Segundo Denair, nunca foi cogitado levar o bicho ao veterinário.

679189__sleeping-dog_p

A moleza do schnauzer Bartolomeu, na verdade, era um sinal de hipotireoidismo.

Mas é só preguiça? Vários fatores podem influenciar o sono dos cães. Geralmente, são bichos muito ligados à rotina dos donos. Por isso, cabe a estes estimular atividades para “espantar” o sono. Animais que ficam muito tempo sozinhos em casa também podem apresentar um comportamento mais apático. Nesse caso, a frustração do bicho tende a extravasar de duas formas: ou destrói objetos do lar ou fica ainda mais quietinho.

 

Mel, uma chow-chow de 1 ano, também é “marcha lenta”. A dona da cadela, a estudante Rafaela Bittar, 23 anos, já a levou ao veterinário. Mas, de acordo com a especialista, o único problema do animal é preguiça mesmo. “Para a Mel, não tem tempo ruim. Ela dorme na grama, no sol, embaixo da cama, em cima dela, no tapete e até mesmo dentro do banheiro”, relata. Ainda segundo Rafaela, o único momento que a chow-chow se anima é na hora de passear. “No mais, é mole, mole.”

 

Cães menores também são mais ativos por natureza. O sono excessivo acomete, geralmente, animais idosos e recém-nascidos. “Entre cães adultos, pode ser o indício de uma doença. Os filhotes podem dormir 20 horas por dia; adultos ativos, em torno de 14; e cães idosos, 18 horas”, detalha a veterinária Lídia Augusto.

 

O sono patológico existe, sim, e está associado a muitos males, como hipotireoidismo, diabetes, doenças cardíacas e alterações neurológicas. Para fechar um diagnóstico, os veterinários levam em conta outras mudanças no comportamento animal, como perda de apetite, ganho de peso e surgimento de lesões na pele.

 

Foi a mudança de peso do schnauzer Bartolomeu, de 3 anos, que motivou Mariana Rios, 31, a buscar auxílio profissional. O cão dormia aproximadamente 18 horas por dia e só engordava, apesar de comer pouco. “A gente começou a observar que ele estava muito apático. Além disso, estava engordando muito”, resume a servidora pública. Na visita ao veterinário, confirmou-se um quadro de hipotireoidismo e colesterol alto. Há quase três meses em tratamento, o schnauzer apresenta uma visível melhora. “Ele tem mais energia e já emagreceu 2kg”, comemora a dona.

 

O hipotireoidismo ocorre quando a glândula tireoide passa a não produzir a quantidade ideal de hormônios T3 e T4. Na insuficiência desses, os animais sentem sonolência, frio e acumulam gordura. “Pode causar também alterações na pele. Os hormônios da tireoide são essenciais para o funcionamento do cérebro e do intestino, por isso, fazemos o tratamento de reposição hormonal”, explica a veterinária Katiane Rocha. É importante ressaltar que a doença não  tem cura nem prevenção, mas pode ser mantida sob controle durante toda a vida da mascote.

 

Se o excesso de sono preocupa, a falta dele também deve ter relevância. Os cães podem sofrer de insônia e, segundo a médica veterinária ThaysMizuki, esse problema pode ocorrer por diversos fatores, principalmente emocionais. “Na maioria das vezes, o comportamento está associado à síndrome de ansiedade e separação (desencadeada por várias situações, como abandono, depressão e mudanças bruscas de ambiente)”, esclarece. Ainda de acordo com Mizuki, distúrbios neurológicos ou dor podem deixar seu cãozinho sem dormir. Leve-o o quanto antes a um profissional.

 

E os gatos?

 

Felinos têm fama de preguiçosos. Na verdade, eles necessitam de mais descanso que os cães. Segundo os especialistas, isso ocorre devido aos hábitos de caça, que os fazem ficar alertas à noite. “Eles ainda conservam muitas características de seus ancestrais. Na natureza, eles caçam e passam um bom tempo procurando a presa. Precisam descansar para ter maiores chances. Os gatos de hoje em dia economizam energia para esse momento, que pode ser atacar uma lagartixa na parede, ou até mesmo descer as escadas para comer no potinho”, explica a veterinária Leila Sena.

 

Cantinho do descanso

Arrumar a caminha do pet colabora para a qualidade do sono. O lugar deve ser confortável, limpo, arejado e, ao mesmo tempo, quente. Coloque colchões, almofadas ou mesmo tapetes. Em dias frios, acrescente uma coberta.

 

Você sabia?

 

Animais também sonham. De acordo com o psicólogo Stanley Coren, da Universidade de British Columbia, bichos são capazes de ter sonhos complexos, nos quais processam os acontecimentos do dia. Alguns animais têm pesadelos. Isso explica por que muitos pets fazem barulhos enquanto dormem. Filhotes podem fazer movimento como se estivessem mamando, e animais adultos podem simular corridas ou brigas. Animais agressivos podem morder os donos caso sejam acordados de repente.

Gatos adultos podem dormir até 16 horas por dia em períodos variados. Sendo a maior parte, no período diurno. Felinos idosos podem chegar a 22 horas diárias de sono.

Cães, às vezes, “arrumam” a cama antes de dormir. A ideia é deixar o local mais confortável.

Algumas raças de focinho curto, como buldogues e shih-tzus, tendem a ser obesos e ter o sono leve — é que o sobrepeso atrapalha a respiração durante o descanso.

 

 

Acesse nosso site clicando AQUI

09. setembro 2014 por admin
Categorias: Sem categoria | Deixe um comentário

Médicos dão orientações para evitar doenças com as mudanças do tempo

As mudanças bruscas de temperatura neste inverno impactam diretamente a nossa saúde. Pode ser com problemas mais simples, como boca seca, lábio rachado, resfriado ou dor de cabeça, ou mais sérios, como gripe e dor de ouvido. No Sul e Sudeste do país, os termômetros têm tido registros de verão no mês de agosto.

Segundo a otorrinolaringologista Francine Pádua e o pediatra Moises Chencinski, no tempo seco é importante usar soro fisiológico para umedecer as vias aéreas, lágrima artificial para os olhos e hidratante para a pele e os lábios; vestir roupas que aqueçam bem o corpo e carregar sempre uma echarpe mais fina na bolsa ou mochila; usar umidificador, bacia com água ou toalha molhada no ambiente; manter as vacinas em dia e, se necessário, fazer inalação com soro fisiológico.

45454131

 

De acordo com Chencinski, quem respira mal pelo nariz também respira mal pelo pulmão, pois a mucosa é a mesma. Por isso, pessoas que sofrem de rinite alérgica têm mais propensão a ficar gripadas ou resfriadas no frio, pois têm um número maior de receptores nas mucosas das vias respiratórias, onde grudam os vírus e as bactérias. Além disso, indivíduos alérgicos devem tomar cuidado para não usar casacos guardados com pó e mofo.

 

Ao todo, segundo os médicos, 95% das sinusites agudas são precedidas por gripe ou resfriado, e até 5% das gripes ou resfriados podem evoluir para uma sinusite aguda. De acordo com os especialistas, é considerado normal um adulto ter de 3 a 4 resfriados por ano. Já em crianças, é normal ter entre 6 e 10 resfriados por ano.

 

Outras dicas dos médicos nesta época são: tomar bastante água e alimentar-se bem para fortalecer a imunidade (no caso dos bebês, a amamentação também ajuda muito a prevenir doenças); evitar ficar muito em lugares fechados e com aglomeração de pessoas; quando der banho em uma criança, deixar a porta do banheiro fechada para manter o calor, inclusive ao vesti-la; e redobrar os cuidados com os pequenos e os idosos, pois o sistema imunológico deles é mais frágil que o dos adultos.

 

Acesse nosso site clicando AQUI!

08. setembro 2014 por admin
Categorias: Sem categoria | Deixe um comentário

Receita do dia: Bolo de Cenoura Saudável

Aprenda a fazer um delicioso bolo de cenoura com cobertura de chocolate.

 

Ingredientes

2 cenouras grandes sem casca picadas

3 ovos

1 xícara de leite de soja

2 colheres de margarina

2 xícaras de açúcar

1 e 1/2 xícara de farinha de soja

1 e 1/2 xícara de farinha de trigo

1 colher de fermento em pó

Margarina e farinha de trigo para untar

 

Cobertura

1/2 xícara de leite de soja

1/2 xícara de leite condensado de soja

1/2 xícara de açúcar

1/2 xícara de chocolate em pó

1 colher de maisena

bolo-de-cenoura-low-carb-sem-lactose

 

Modo de preparo

No liquidificador, bata a cenoura com os ovos, o leite de soja, a margarina e o açúcar até ficar homogêneo. Peneire metade das farinhas misturadas e adicione à mistura do liquidificador. Bata até ficar homogêneo. Transfira para uma vasilha, acrescente a farinha restante, o fermento e misture com uma colher. Despeje a massa em uma fôrma de 26cm de diâmetro untada e enfarinhada e leve ao forno médio, preaquecido, por 40 minutos ou até que ao enfiar um palito, ele saia limpo. Leve ao fogo os ingredientes da cobertura até levantar fervura e engrossar. Abaixe o fogo e cozinhe por 5 minutos. Desenforme o bolo depois de frio, espalhe a cobertura e sirva.

05. setembro 2014 por admin
Categorias: Sem categoria | Deixe um comentário

← Posts mais antigos