Mude 12 hábitos para prevenir a azia

Entenda por que cigarro, álcool e jejum prolongado pioram a queimação no estômago

O prazer da refeição dura pouco para os 20 milhões de brasileiros que, segundo a Organização Mundial da Saúde, são obrigados a lidar com a queimação no estômago causada pela azia. O número levantado já é alto, mas tende a ser ainda maior, já que a maioria das pessoas que convive com o problema dificilmente busca um especialista na tentativa de resolvê-lo. “A maioria dos pacientes procura, por conta própria, medicamentos ou soluções naturais para amenizar o desconforto”, afirma o gastroenterologista Luiz Eduardo Rossi Campedelli, do Hospital Albert Einstein. “Os sintomas acabam melhorando temporariamente, mas voltam a incomodar em pouco tempo sem tratamento médico”.

azia

A azia é causada pelo refluxo de ácido gástrico (responsável pela digestão dos alimentos): ele segue do estômago para o esôfago, como se fosse retornar à boca. “Esse refluxo, por sua vez, é causado pelo mau funcionamento de uma espécie de válvula, chamada esfíncter: ela se abre para o alimento passar do esôfago para o estômago e, em seguida, deve se fechar para reter o que foi ingerido e também os sucos gástricos que circulam por ali”, explica o gastroenterologista Ricardo Blanc, membro da Sociedade Brasileira de Gastroenterologia

 O tratamento do problema pode até incluir o uso de medicamentos, mas os especialistas garantem que só isso não funciona. O método mais eficiente contra a queimação no estômago é a mudança de hábitos tanto em relação à sua dieta quanto à forma como os alimentos são consumidos. “Mastigando bem os alimentos, por exemplo, você facilita o trabalho do estômago, que pode produzir menos ácido”, afirma o gastroenterologista do Einstein. Os cuidados são todos muito simples, mas fazem uma tremenda diferença na sua digestão, acompanhe todos eles para começar e encerrar suas refeições com muito prazer.

Cardápio selecionado 

Controlar o consumo de alguns alimentos ajuda a evitar crises de azia. De acordo com gastroenterologista Luiz Eduardo Rossi Campedelli, do Hospital Albert Einstein, frituras e alimentos muito gordurosos devem ficar longe do prato de quem sofre com azia. Frutas ácidas, condimentos, embutidos e alguns tipos de verduras, como couve, couve flor, brócolis, repolho, nabo, rabanete, pepino e tomate também devem ser evitados, porque tem ph ácido.

Refeições na hora certa 

Passar longos períodos em jejum aumenta as chances de azia. Isso acontece porque, quando uma pessoa fica sem comer, o ácido gástrico se acumula e pode refluir, irritando o final do esôfago. “Comer a cada três horas mantém o sistema digestivo em funcionamento, sem sobrecarga na produção de ácido gástrico”, explica o gastroenterologista Luiz Campedelli.

Pratos que transbordam 

Quem exagera no prato também corre maior risco de ter azia. “Quanto maior o volume de alimentos ingeridos de uma vez, maior será o risco que o suco gástrico atinja o esôfago, já que estômago estará superlotado”, explica Luiz Campedelli.

Exercícios após a refeição 

Segundo o gastroenterologista Ricardo Blanc, muita movimentação física aumenta as chances de refluxo. Até duas horas após uma grande refeição, o estômago ainda acumula ácidos gástricos em maior quantidade e os movimentos podem fazer com que esses líquidos retornem em direção ao esôfago, causando a queimação.

Leite gelado durante uma crise 

Tomar um copo de leite gelado pode até piorar a queimação. “O alívio que você sente ao tomar um copo de leite é momentâneo. A bebida tem pH baixo (o que neutraliza a acidez estomacal). No entanto, é rica em cálcio, mineral que estimula a produção de ácido gástrico pelo estomago”, alerta Luiz Campedelli. Além disso, o leite, em sua versão integral, é rico em gorduras, outro componente que aumenta as chances de azia. O mesmo processo não acontece com o leite de soja, que não possui grandes quantidades de cálcio e é livre de gorduras. “Um copo de leite de soja gelado traz alívio, assim como alguns goles de água gelada”.

Café depois do almoço 

Outro hábito bastante comum que deve ser evitados por pessoas que sofrem com azia é tomar café após a refeição. “A cafeína provoca um relaxamento demasiado no esfíncter, causando o refluxo de ácido digestivo para o esôfago. Duas xícaras diárias é o máximo recomendado para uma pessoa que sofre com crises de azia”, diz o gastroenterologista Vladimir Schraibman, especialista do Minha Vida.

Tomar chá preto

De acordo com o gastroenterologista Vladimir Schraibman, especialista do Minha Vida, assim como o café, o chá preto e o chá mate provocam o relaxamento do esfíncter, facilitando o refluxo e aumentando as chances de azia. Chás mais claros ou o chá verde não causam o mesmo efeito, podendo ser consumidos sem preocupação. O chá de camomila, por sua vez, possui características calmantes que diminuem a irritação da parede do esôfago atingida pelo refluxo gástrico.

Sono após comer

Deitar-se após as refeições deixa o corpo em uma posição que facilita o refluxo dos ácidos digestivos que provocam a azia. Caso você seja vítima do problema, o ideal é permanecer sentado, pelo menos, meia hora após o término da refeição e, só após este intervalo, dar um cochilo.

Riscos do álcool 

Além de irritar naturalmente o sistema gástrico, o álcool também estimula a produção de ácido pelo estômago e diminui a capacidade de contração da válvula que impede o refluxo. Por isso, evite esse tipo de bebida durante as refeições como medida preventiva. Também não é recomendável beber com o estômago vazio, prevenindo o acúmulo de ainda mais ácidos digestivos.

Mais uma do cigarro

A azia é mais um incômodo que pode ser colocado na lista de malefícios que o fumo traz ao corpo. “Além de causar problemas sérios no pulmão, o cigarro também diminui a proteção da mucosa do estômago, deixando o órgão mais sensível à irritação causada pelo ácido gástrico”, afirma Ricardo Blanc. É por esse motivo também que o cigarro aumenta as chances de úlcera no estômago.

Excesso de peso 

Pessoas que sofrem com o sobrepeso ou com obesidade têm maiores probabilidades de serem incomodadas com a azia, já que a pressão sobre o estômago (causada pelo excesso de peso) aumenta as chances dos ácidos gástricos sofrerem refluxo em direção ao esôfago.

Líquidos durante a refeição

Bebidas gaseificadas aumentam a pressão dentro do estômago, forçando os ácidos digestivos a seguirem em sentido inverso (refluxo gástrico). Outras bebidas, em excesso, acabam diluindo o ácido gástrico e obrigando o estômago a produzi-lo em maior quantidade. “Ardência e queimação são resultados possíveis quando há consumo exagerado de bebidas junto às refeições”, afirma o gastroenterologista Ricardo Blanc.

Fonte: http://www.minhavida.com.br/saude/materias/14155-mude-12-habitos-para-prevenir-a-azia

18. dezembro 2014 por admin
Categorias: Sem categoria | Deixe um comentário

Receita do dia: Bife vegetal com batatas e pimentões para ceia de Natal

Receita é para quem quer aproveitar as festas de fim de ano, sem exagero.
‘Prato tem valor nutritivo e é fácil de fazer’ diz criadora da receita.

Preocupadas com a saúde e com o peso, muitas pessoas estão abolindo os pratos gordurosos das festas de fim de ano. Alguns têm encontrado opções de pratos gostosos e saudáveis para a ceia de Natal. Um exemplo é a receita da comerciante Maria Fantine, de 51 anos. Ela ensina a fazer bife vegetal com batatas e pimentões. “Além de possuir valor nutritivo, é prático. O bife vegetal é tão saboroso quanto o do reino animal”, garante ela. Abaixo você confere os ingredientes e o passo a passo da receita.

bifevegetal

 Ingredientes:

1 lata de bife vegetal pronto (encontrado em lojas especializadas)
4 batatas médias
1 pacote de chimi churry (tempero pronto feito de tomate seco, pimentão, cebola em flocos, alho, cúrcuma, sal marinho, salsa, cebolinha, mostarda, orégano, louro
1/2 pimentão (vermelho, verde e amarelo cada) cortado em tiras
6 dentes de alho
1 cebola grande
sal a gosto

Modo de preparo:
Corte as batatas em rodelas e coloque em água quente para cozinhar. Em outra vasilha, ponha azeite e os pedaços de bife vegetal. Eles já vêm pré-pronto e sem tempero, portanto, não pode ficar muito tempo na panela, somente o tempo para dourar. Por cima do bife, espalhe o chimi churry para temperar. Em outra vasilha, para fazer o molho, coloque azeite e alho. Deixe por alguns minutos, no fogo baixo, até dourar. No final, coloque a cebola e os pimentões. Em um recipiente de vidro, distribua as batatas já cozidas, coloque os bifes entre a verdura e depois jogue o molho de pimentão por cima. Em seguida, é só servir.

A comerciante e criadora do prato explica que ele é completo porque além da proteína tem também carboidrato. Além disso, é uma receita natural e fácil de fazer, explica ela. “É um prato muito prático, muito simples. É uma opção para quem quer uma receita mais saudável e mais leve para a ceia de Natal”.

Maria Fantine garante que o bife vegetal é tão saboroso quanto o animal. “Se você tem esse prato com uma salada você tem um prato completo para uma refeição”. Ela diz ainda que podem ser acrescidos a beringela, o cheiro verde, a cenoura ou outro legume da preferência de cada pessoa

Fonte: http://g1.globo.com/to/tocantins/noticia/2014/12/bife-vegetal-com-batatas-e-pimentoes-e-prato-nutritivo-para-ceia-de-natal.html

16. dezembro 2014 por admin
Categorias: Sem categoria | Deixe um comentário

Deixar de comer açúcar é a única maneira de prevenir o diabetes tipo 2?

Outros hábitos alimentares e mudanças no estilo de vida também ajudam a evitar e controlar a doença

 Recentemente foi publicado uma pesquisa, efetuada pela Sociedade Brasileira de Diabetes, que concluiu que o brasileiro não relaciona atividade física, cuidados com a alimentação, o sedentarismo e cuidados gerais com a saúde como formas de prevenir o desenvolvimento do diabetes do tipo 2. Isto é bem alarmante, visto que a palavra-chave para não desenvolver a diabetes do tipo 2 é a prevenção.

Em geral corrigir a dieta, controlar o peso e se tornar mais ativo contribui para prevenir ou adiar o aparecimento do diabetes tipo 2 em quase 60% dos casos, o que comprova que é de extrema importância os cuidados com hábitos e estilo de vida.

diabetes3

Alimentar-se bem é essencial para controlar e prevenir a doença. Montar um bom plano alimentar, orientado por um profissional da saúde, é parte fundamental da prevenção e do tratamento, visto que muitos acreditam que somente contendo os doces e o açúcar conseguirão controlar ou prevenir o diabetes.

A dieta recomendada para pacientes com diabetes deve ser rica em nutrientes, adequada em fibras, pobre em gorduras saturadas e hidrogenadas e moderada em calorias. Estas orientações também são parâmetro para a dieta de qualquer pessoa que queira se manter saudável.

Alimentos que aumentam o risco de diabetes tipo 2

Alimentos com alta carga e índice glicêmico fazem com que os níveis circulantes de glicose fiquem altos, sobrecarregando o pâncreas que precisa produzir mais insulina.

Alguns alimentos fazem disparar as taxas de açúcar no sangue, pois a glicose disponível neles é rapidamente digerida e entra na circulação. O açúcar é um alimento que representa o maior exemplo de carboidrato de alto índice glicêmico e alta carga glicêmica, mas não é o único. Existem muitos representantes que escondem seus perigos, o que é o caso, por exemplo, dos produtos feitos com a farinha branca refinada, como pães, biscoitos e bolos, arroz branco, batata inglesa cozida, entre outros.

Observar o índice glicêmico e a carga glicêmica dos alimentos que fazem parte do seu cotidiano é uma estratégia fundamental para quem quer prevenir o desenvolvimento do diabetes tipo 2 e não apenas evitar o consumo de açúcar e doces.

Veja alguns exemplos que vale manter a distância:

  • Refrigerantes comuns
  • Molhos prontos (catchup ,molhos para saladas, etc)
  • Sucos industrializados
  • Frituras em geral
  • Embutidos
  • Salgadinhos industrializados
  • Alimentos confeccionados com farinha branca refinada (pães,bolos,biscoitos e bolachas)
  • Cortes gordurosos de carnes

O sedentarimos e o diabetes

Pessoas que estão com o colesterol alto, hipertensão arterial, histórico familiar e acima do peso, principalmente se forem obeso, correm mais riscos de desenvolver o diabetes tipo 2.

O sedentarismo também é um grande fator de risco, se o indivíduo apresentar histórico familiar, mas conservar um peso saudável e for uma pessoa ativa, as chances de desenvolvimento do diabetes tipo 2 diminuem. Caso contrário, se for obesa e sedentária as chances de desenvolvimento da doença são bem maiores.

Desmistificando

A desinformação contribui para o aumento do risco do desencadeamento do diabetes tipo 2. Leia, informe-se e pesquise, mas principalmente, mantenha em mente que a adoção de um estilo de vida saudável, peso adequado, prática constante da atividade física e uma alimentação equilibrada sempre serão indicadas. Estes hábitos são considerados pela ciência os maiores protetores da nossa saúde.

Fonte: http://www.minhavida.com.br/alimentacao/materias/17060-deixar-de-comer-acucar-e-a-unica-maneira-de-prevenir-o-diabetes-tipo-2

15. dezembro 2014 por admin
Categorias: Sem categoria | Deixe um comentário

Conheça os benefícios da linhaça

 Disponível na forma de semente, farinha, óleo e cápsulas, a linhaça vem sendo utilizada para promover a saúde e melhorar a qualidade de vida. Rica em fibras; ácidos graxos, ômegas 3 e 6; vitaminas A, E, B1 e B6; e minerais como potássio, fósforo, magnésio, ferro, cobre, zinco, manganês, selênio e cálcio, o produto proporciona uma série de benefícios. Segundo Thais Souza, nutricionista da Rede Mundo Verde, o alimento é fonte de lignanas, um fitoesteróide que “imita” a ação do estrógeno, contribuindo para o equilíbrio hormonal.

“Essa substância é excelente para as mulheres, pois combate os sintomas da TPM e menopausa, além de prevenir o aparecimento de câncer de mama. Nos homens, ela auxilia no combate dos tumores de próstata. A lignana ainda é uma boa opção para promover a manutenção da saúde óssea do organismo”, explica a especialista.

 linhaca

 Além disso, por conter ômegas 3 e 6 em sua composição, a linhaça é uma grande aliada para a saúde do coração. Esses ácidos graxos reduzem as taxas de colesterol sanguíneo e a pressão arterial, além de prevenirem trombose e aliviarem os sintomas de artrite. As fibras presentes na semente de linhaça contribuem para o controle da glicemia e, portanto, auxiliam na prevenção de diabetes.

De acordo com a nutricionista, o produto também auxilia no tratamento da depressão e na melhora das funções mentais de idosos. “Estudos demonstram que o ômega 3, presente na linhaça, atua na prevenção do mal de Alzheimer”, comenta.

BELEZA

A linhaça também é indicada para melhorar o aspecto de peles secas, com manchas, acne, espinhas e eczema. “Quem deseja perder peso, também pode contar com a linhaça para promover uma melhor digestão e ajudar no bom funcionamento do intestino”, esclarece a especialista.

TIPOS DE LINHAÇA

Existem dois tipos de semente de linhaça: marrom e dourada. A primeira já está adaptada ao solo brasileiro e ao clima quente e úmido, tem a casca mais dura e resistente, o que pode diminuir a biodisponibilidade (capacidade de absorção do organismo) de seus nutrientes. Já a linhaça dourada tem um sabor mais suave e uma casca mais fina. Porém, não há diferença significativa no valor nutricional dos dois tipos de linhaça.

COMO CONSUMIR

Em geral, a ingestão recomendada é de três colheres de sobremesa ao dia. Independente do tipo de linhaça usada as sementes devem ser trituradas, antes de serem consumidas. “A casca da semente é resistente à ação do suco gástrico e, quando ingerida inteira passa intacta pelo trato gastrointestinal. O ideal é bater as sementes no liquidificador, e consumi-las logo em seguida ou guardar em pote de vidro opaco, na geladeira, por até três dias. Também pode ser adicionada no cozimento final do feijão ou de sopas”, ensina Thais.

A farinha pode ser usada em receitas de massas, bolos e pães, ou adicionada a sucos, sopas, vitaminas, saladas e iogurtes. Existem ainda, opções de biscoitos, barras de cereais e granolas que contém linhaça em sua composição.

Fonte: http://www.personare.com.br/linhaca-e-fonte-de-saude-m1014

11. dezembro 2014 por admin
Categorias: Sem categoria | Deixe um comentário

Saiba como funciona a terapia com florais

Essências florais trabalham emoções e ajudam a restaurar o equilíbrio

O objetivo da terapia floral é o equilíbrio das emoções. Podemos buscar a ajuda dessa terapia para lidar com sentimentos que estão em conflito, que negamos ou que temos que modificar, como a insatisfação, a incerteza, insegurança, a raiva, entre outros. A terapia floral utiliza-se de compostos energéticos chamados essências florais. Cada essência é indicada para trabalhar emoções específicas ou conjuntos de emoções.

Essa relação se faz de acordo com as características afins entre a flor da qual é produzido o floral e a pessoa. Por exemplo, se um sentimento de falta de confiança em si mesmo, nas suas capacidades e habilidades esteja sendo um obstáculo para uma pessoa no momento, o “Larch” dos Florais de Bach poderia ajudar a dissipar esse negativo e mostrar a real capacidade que há dentro dela. O floral não irá “colocar” nada que falta na pessoa, mas, sim, ressoar a característica que já está lá.

terapiadeflorais

VEJO FLORES EM VOCÊ

Na essência da flor não temos desequilíbrio. O terapeuta holístico ou terapeuta floral está capacitado a enxergar as flores em você! Dessa forma, ele busca nas essências ferramentas para ajudar no processo de mudança e transformação dessas emoções negativas em neutras – e depois em positivas.

Desenvolvida por Edward Bach, as essências florais de Bach compõem uma terapia alternativa que foi inspirada nas clássicas tradições homeopáticas. Atualmente temos vários outros sistemas florais, como os Florais de Minas e Florais Brasileiros, cada um com suas flores, mas seguindo os mesmo princípios.

Para o Dr. Bach, a personalidade da pessoa devia ser tratada, não a doença. A doença seria o resultado do conflito da alma (Eu Superior – a parte mais perfeita do Ser) e da personalidade (Eu Inferior – o que nós somos, no nosso dia-a-dia). Ele dizia: “O sofrimento é mensageiro de uma lição, a alma envia a doença para nos corrigir e nos colocar no nosso caminho novamente. O mal nada mais é do que o bem fora do lugar”.

INFORMAÇÕES ÚTEIS

A utilização dos florais é bem simples, a dosagem padrão é de qatro gotas diretamente na boca, no mínimo quatro vezes ao dia. Não houve até hoje nenhuma reação adversa. Não tem efeitos colaterais, nem contra indicações. A terapia floral é uma terapia complementar, ou seja, pode ser seguida em conjunto com outros tratamentos, sejam eles alopáticos, homeopáticos ou holísticos.

Não existe uma idade mínima para recomendação de florais, mas temos o cuidado de pedir para diluir em água para bebês e crianças pequenas, assim como para gestantes e mães amamentando.

Gostou? Acesse o nosso site clicando AQUI!

Fonte: http://www.personare.com.br/como-funciona-a-terapia-com-florais-m846

09. dezembro 2014 por admin
Categorias: Sem categoria | Deixe um comentário

Vinho tinto: Fonte de Juventude

Enólogo esclarece benefícios dessa bebida no combate ao envelhecimento

Você já ouviu falar em resveratrol? É uma substância com propriedades antioxidantes e antiinflamatórias encontrada na casca e nas sementes das uvas vermelhas. Se você se preocupa com os efeitos da idade, saiba que estudos comprovaram que o resveratrol atua em um conjunto de genes associados ao envelhecimento, retardando o processo em tecidos como o cerebral, o muscular e o cardíaco.

O resveratrol pode ser encontrado em bons vinhos e em sucos de uva orgânicos. Convidamos o enólogo Ivan Regina para esclarecer sobre este e outros benefícios do consumo de vinho para a nossa saúde.

vinho_tinto

O que é resveratrol?

Resveratrol é um potente polifenol encontrado na casca das uvas, especialmente das tintas (vermelhas)e faz parte do sistema imunológico da fruta.

Quando o vinho tinto é produzido, as cascas ficam em contato com o sumo das uvas, concentrando o polifenol.

Quais são os benefícios?

Os principais são a redução do LDL, conhecido como “mau colesterol” e o aumento do HDL, o “bom” sendo assim ocorre a diminuição de riscos de acidentes cardiovasculares e derrames cerebrais.

Outros benefícios potenciais permanecem em estudo, como a diminuição do risco de alguns tipos de câncer, como o de pulmão, de pele e de próstata.

Há comprovação e estudos?

Tudo começou com Serge Renaud, epidemiologista francês que pesquisou e comparou as taxas de acidente cardiovasculares de diversos países com diferentes tipos de alimentação.Enquanto as menores taxas estão nos países do Oriente, com baixo consumo de carne animal, logo em seguida vem a França, com uma alimentação rica em gordura, como a manteiga e o azeite.

Serge comprovou que esta baixa taxa se devia ao vinho, consumido diariamente por boa parte da população. Isto ficou conhecido como o “Paradoxo Francês”.

Hoje existe uma rede de pesquisadores médicos, atuando na Europa, na América do Norte e no Brasil visando estabelecer a abrangência dos benefícios do consumo regular de vinho na saúde humana.

Uva e sucos de uva também têm propriedades benéficas?

Uvas tintas e suco de uvas tintas também contêm o resveratrol, mas ainda não se sabe se o álcool, que só existe no vinho, potencializa a ação benéfica do resveratrol nos seres humanos.

Qual a quantidade de vinho indicada para consumo diário?

Um consumo aproximado de 250 mililitros (um terço de uma garrafa normal) diário para os homens e de 200 mililitros para as mulheres.

Para se beneficiar do resveratrol, cerca de 150 mililitros diários são suficientes, consumidos com regularidade.

Sempre é bom consultar seu médico para estabelecer se você pode beber vinho e qual a melhor quantidade para sua condição física.

Existem outros benefícios do consumo de vinho?

Ainda está sendo estudada a extensão dos benefícios do vinho, mas já sabemos que seu consumo, junto a uma dieta nutricional sadia e equilibrada, aumenta a expectativa de vida e sua qualidade. Só para exemplificar, os habitantes da Ilha de Creta (dieta mediterrânica e consumo regular de vinhos), têm 98% menos de chance de morrer de um ataque cardíaco que um norte americano.

Quais são boas opções de vinho?

Aqui no Brasil podemos escolher vinhos do mundo inteiro. Os brasileiros, argentinos e chilenos têm boa relação custo/benefício. Na Europa os países mais tradicionais na produção dos vinhos são: França, Itália, Espanha e Portugal. Há, portanto, possibilidade de escolhermos bons vinhos em todas as faixas de preço, lembrando que os tintos são mais recomendados para a saúde, mas os brancos também são ótimos companheiros de mesa.

Com quais alimentos podemos combinar vinhos?

A harmonia dos vinhos pode ser simplificada em: vinhos brancos para peixes e frutos do mar, vinhos tintos para carnes. Vinhos mais leves para pratos mais ligeiros, vinhos mais encorpados para pratos mais potentes. Com o tempo você vai vendo as combinações entre vinho e alimento, não só as clássicas como aquela que o seu paladar mais aprecia.

Fonte: http://www.personare.com.br/vinho-tinto-fonte-de-juventude-m572

08. dezembro 2014 por admin
Categorias: Sem categoria | Deixe um comentário

Conheça os benefícios da banana verde

Fruta ajuda na redução de peso, controle do intestino, digestão e mais

Além de ser saborosa, a banana verde ainda pode ajudar na redução de peso e do colesterol, além de controlar a quantidade de açúcar no sangue (glicemia). Rica em amido, a fruta também fornece energia para o organismo, regulando o intestino e ajudando na digestão.

A banana ainda possui potássio, primordial no funcionamento celular, pois participa de todos os processos musculares do organismo, inclusive os do coração. Também previne a perda de cálcio, ajudando na prevenção de osteoporose. Outro nutriente da fruta é o fósforo, que integra a composição de ossos e dentes e participa da digestão dos carboidratos. Já o magnésio encontrado na banana é responsável pela produção da energia celular e relaxamento muscular, sendo especialmente indicado para pessoas estressadas.

bananaverde

Quando encontrada na forma de farinha ou biomassa, a banana verde mantém os mesmos nutrientes e calorias. Nesse caso, o amido fica mais resistente e age no organismo da mesma maneira que uma fibra insolúvel: aumenta o volume fecal e a capacidade do corpo de liberar e diminuir as toxinas potencialmente cancerígenas.

FARINHA DE BANANA VERDE

A farinha é rica em minerais, pode ser utilizada no dia-a-dia e comprada em lojas de produtos naturais ou mercearias. Nas receitas convencionais, substitua a farinha comum por metade da farinha de banana verde. O alimento ajuda na absorção lenta da glicose, evitando um estímulo desnecessário de insulina pelo corpo. A longo prazo isso previne o surgimento da diabetes e contribui com um estilo de vida mais saudável.

A farinha de banana tem um gosto neutro e pode ser utilizada na substituição parcial ou total da farinha de trigo. Outra opção é polvilhar o farelo nas refeições, em frutas, no iogurte ou até na água. Boa alternativa para o lanche da tarde, no horário que bate aquela fome.

Recomendo a ingestão de 2 colheres de sopa ao dia, podendo começar com 1 colher de sobremesa ao dia. Além disso, é importante caprichar no consumo de água para ter os efeitos desejados. Caso contrário, pode haver constipação intestinal, o incômodo “intestino preso”.

BIOMASSA DE BANANA VERDE

Possui as mesmas propriedades da farinha de banana verde e pode ser comprada na forma industrializada (congelada) ou feita em casa. Veja abaixo a receita:

Ingredientes:

  • Cerca de meia panela de água (a quantidade suficiente para cobrir as bananas)
  • 12 bananas verdes (preferir orgânicas)

Material utilizado: panela de pressão, liquidificador, garfo, fôrma para gelo e pote de vidro.

Preparo: lave as bananas verdes sem tirar o cabo da fruta. Encha a panela de pressão com metade de água e leve ao fogo para esquentar. Quando a água estiver borbulhando, coloque as bananas e tampe a panela. Espere chiar por 10 minutos e deixe a pressão passar naturalmente.

Depois disso, escorra a água da panela e tenha muito cuidado ao abrir as bananas, para não se queimar. Se preferir, utilize um garfo. Coloque a polpa da fruta – sem as cascas – para bater no liquidificador (pode ser necessário um pouco de água quente). Coloque a mistura em fôrmas de gelo e a outra metade em um pote de vidro, por até 7 dias.

Quando utilizar a biomassa congelada, retire do congelador no dia anterior e coloque na geladeira, ou coloque no microondas, em um pote de vidro, por 1 minuto.

Modo de utilização: batido em vitaminas, sucos, caldo de feijão, sopa, patês, massa de pão e bolo, etc.

RECEITAS PARA O DESJEJUM

Vitamina de abacate (porção para uma pessoa)

Bata no liquidificador:

  • 1 copo de leite ou leite de arroz ou leite de aveia
  • 1 colher de sobremesa de biomassa ou 1 pedra de gelo, caso use biomassa congelada
  • 1 colher de sopa cheia de abacate (ou avocado)
  • Adoce a gosto

Vitamina de morango e banana (porção para uma pessoa)

Bata no liquidificador:

  • 1 copo de leite ou leite de arroz ou leite de aveia
  • 1 colher de sobremesa de biomassa ou 1 pedra de gelo, caso use biomassa congelada
  • 1/2 banana nanica e 5 unidades de morango

Adoce a gosto, mas cuidado, pois a mistura já fica naturalmente doce.

Vitamina de polpa de frutas (porção para uma pessoa)

Bata no liquidificador:

  • 1 copo de leite ou leite de arroz ou leite de aveia
  • 1 colher de sobremesa de biomassa ou 1 pedra de gelo, caso use biomassa congelada
  • ½ polpa de frutas

Adoce a gosto.

Fonte: http://www.personare.com.br/beneficios-da-banana-verde-m2095

04. dezembro 2014 por admin
Categorias: Sem categoria | Deixe um comentário

GANHE PIQUE COM SUCOS VERDES

Desintoxicantes e diuréticas, as bebidas verdes aumentam a disposição

Começar o dia com um belo suco verde é muito mais energético do que uma xícara de café. Você toma uma bomba de vitaminas e dá o maior pique para aproveitar o dia, sem contar os efeitos diuréticos e desintoxicantes. O suco verde limpa seus órgãos e os ajuda a funcionarem melhor. Ingeri-lo pela manhã é ainda mais benéfico, pois é o período do dia em que o corpo está mais propício aos processos eliminatórios.

A clorofila funciona como “sabão”, limpando todo o aparelho digestivo. Por ter a estrutura muito parecida com a hemoglobina, a responsável por carregar oxigênio e energia a todos os tecidos do nosso corpo, a clorofila garante maior oxigenação e nutrição celular, o que para nós significa mais vitalidade e disposição!

sucos verdes

Ela está presente em todos os vegetais verdes (principalmente nas folhas escuras): salsão, salsinha, funcho (ou erva doce), escarola, agrião, acelga, couve, espinafre, dente de leão, hortelã e muitos outros. Se você puder comprar vegetais orgânicos, será ainda melhor. Mas hoje em dia, também encontra-se facilmente a polpa congelada da clorofila da alfafa, broto de trigo e dente de leão nas casas de produtos naturais. É só descongelar e tomar pura ou misturada no suco.

Para desfrutar do seu elixir energético, você deve adoçar seu suco verde dando preferência às frutas doces como maçã, pêra e uvas, que garantem a disposição por mais tempo. O açúcar da cana por ser metabolizado muito rapidamente dá um pique energético quase instantâneo, mas dura pouco e faz você sentir fome mais cedo. Crie as suas receitas, veja o que tem na geladeira e aventure-se!

____________

Acesse o nosso site clicando AQUI!

Fonte: http://www.personare.com.br/ganhe-pique-com-os-sucos-verdes-m184

03. dezembro 2014 por admin
Categorias: Sem categoria | Deixe um comentário

QUAL ADOÇANTE EU DEVO USAR?

Conheça os diferentes tipos, vantagens e desvantagens

Quando lançados, os adoçantes eram indicados apenas para pessoas diabéticas ou com restrições alimentares. Com o passar do tempo, passaram a ser usados também por quem deseja ingerir menos açúcar e controlar o peso. E se tornaram frequentes dúvidas como essas: quando e quanto usar? Qual o tipo mais adequado para mim?

Para começar, é preciso entender que adoçantes são compostos por edulcorantes, ou seja, substâncias responsáveis por conferir sabor doce. Existem dois tipos: os adoçantes não calóricos (não possuem calorias) e os adoçantes calóricos. O poder adoçante tem como uma unidade padrão o açúcar sacarose, o famoso açúcar refinado e branquinho que usamos no dia-a-dia. O adoçante pode adoçar cerca de quase duas vezes mais que o açúcar a até 300 vezes mais se considerarmos nas mesmas proporções.

url1889

Por isso, precisamos conhecer os tipos de adoçantes para saber qual é o mais indicado para cada pessoa. Vale saber: o adoçante ciclamato e a sacarina são à base de sódio e podem colaborar para o aumento da pressão sanguínea, não sendo indicado para pessoas hipertensas. Durante a gravidez, existem tipos mais seguros, indicados para casos de sobrepeso ou diabetes gestacional.

São adoçantes não calóricos:

SACARINA SÓDICA

  • É o adoçante artificial mais antigo, foi descoberto em 1897 e usado desde 1900. Sua descoberta foi “à toa” pois o pesquisador em questão descobriu sem querer a substância, experimentando-a. É sintético e extraído de um derivado do petróleo
  • Adoça aproximadamente 300 vezes mais do que a sacarose
  • Não causa cáries
  • Possui sabor residual amargo e metálico
  • Sua vantagem está em ser estável à altas temperaturas, podendo ser utilizado em preparações quentes
  • Normalmente combinado com o ciclamato e líquido (transparente)

CICLAMATO DE SÓDIO

  • Também é sintético e extraído do petróleo
  • Seu sabor adoçante é 30 vezes maior do que o açúcar
  • Muito utilizado em conjunto com a sacarina, principalmente na formulação de bebidas líquidas dietéticas
  • Também pode deixar um sabor residual amargo

ASPARTAME

  • Sintético, produzido a partir de dois aminoácidos naturais (aminoácidos são componentes das proteínas): o ácido aspártico e a fenilalanina
  • Seu uso está contraindicado para pessoas portadoras de uma doença congênita rara chamada “fenilcetonúria”, diagnosticada através do teste do pezinho. Por isso produtos à base de aspartame devem ter sempre indicado nos rótulos: “Atenção: contém fenilalanina”
  • Adoça cerca de 180 vezes mais do que o açúcar, com a vantagem de não possuir o sabor amargo. A desvantagem é que perde as propriedades de adoçar em altas temperaturas

ACESSULFAME-K

  • É um sal de potássio produzido a partir de um ácido da família do ácido acético, o nosso conhecido vinagre
  • Não é digerido pelo nosso corpo, ou seja, não é metabolizado.
  • É estável em altas temperaturas e seu poder é de 180 vezes mais doce que o açúcar
  • Pessoas com deficiência renal e que tem o potássio controlado devem evitar a utilização deste adoçante e de produtos que o contenham

STÉVIA OU ESTÉVIA

  • Edulcorante natural,extraído de uma planta originária na fronteira entre o Brasil e o Paraguai. Os índios faziam chás dessa planta para adoçar os alimentos, daí ela foi descoberta
  • Seu sabor é de 300 vezes mais doce que o açúcar,pode possuir residual amargo e normalmente está associada com outros tipos de adoçantes

São adoçantes calóricos:

FRUTOSE

  • Edulcorante natural extraído das frutas e do mel
  • Contém quatro calorias por grama
  • Quando ingerida junto com as refeições pode não alterar a glicemia, porém deve ser utilizada com cautela por pessoas diabéticas e/ou com triglicérides elevados
  • Seu poder adoçante é de 1,8 em relação ao açúcar

SORBITOL E MANITOL

  • São álcoois de açúcar obtidos pela redução da glicose (sorbitol) e frutose(manitol)
  • Contêm 4 kcal por grama (o mesmo que os carboidratos)
  • Não causam cáries e por isso são largamente utilizados na produção de goma de mascar
  • São utilizados por indústrias na elaboração de produtos dietéticos
  • Podem possuir efeito laxativo

SAIBA QUAL É A RECOMENDAÇÃO MÁXIMA PELA ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DE SAÚDE:

Para obter o valor diário (máximo) recomendado, basta multiplicar o valor abaixo pelo seu peso:

Edulcorante => Limite (mg/Kg)

Acesulfatame-K: 15

Aspartame: 40

Ciclamato: 11

Frutose: não existe limite

Sacarina: 5

Stévia: 5,5

Xylitol, Manitol e Sorbitol: 15

FIQUE DE OLHO

Cuidado com o excesso de adoçantes se você consome tudo diet, light ou zero: refrigerantes, gelatinas, geléias, sucos, chás. Assim fica mais fácil ultrapassar a quantidade máxima a ser ingerida.

Estudo recente publicado na revista “NeuroImage indicou que quanto mais a pessoa utilizar adoçantes, isso pode “enganar” o cérebro que esperava glicose devido ao sabor doce e como não a recebeu, despertar o apetite. Por este razão, sugiro que a utilização seja orientada por médico ou nutricionista.

Atenção também em não “esguichar” os adoçantes, pingue gota por gota.

O ideal para a saúde é acostumarmos nossos paladares aos sabores naturais. Que tal experimentar um suco sem adoçá-lo ou um bom café?

Fonte: http://www.personare.com.br/qual-adocante-eu-devo-usar-m1000

02. dezembro 2014 por admin
Categorias: Sem categoria | Deixe um comentário

Saiba como evitar a cãimbra

Especialistas dizem que melhor que comer banana ou peixe, o grande segredo para diminuir a frequência das cãimbras está no bom preparo físico e na hidratação

Exercícios em excesso podem causar cãimbras. Falta de preparo físico, temperatura, desidratação e até a circulação do sangue podem também estar relacionados ao surgimento das contrações involuntárias

A dor é inconfundível. É só esfriar um pouco ou exagerar no exercício que já se anuncia aquela sensação súbita de que o músculo está se afinado, contorcendo. Os espasmos são frequentes e prolongados e é possível até ver, por um momento, o novo formato do músculo contorcido. “A cãimbra geralmente é sinal de fadiga”, diz o médico Ricardo Munir Nahas, diretor da Sociedade Brasileira de Medicina do Exercício e do Esporte.

A cãimbra é a contração involuntária do músculo. Ainda não se sabe definir a causa específica, mas sabe-se que está relacionada com a falta de preparo físico, temperatura, desidratação e também com a circulação do sangue. “Ela pode ocorrer em qualquer músculo do corpo, principalmente na parte inferior, como coxa e panturrilha”, diz.

Por isso é tão comum aquela cena do jogador de futebol que para repentinamente de correr, levando a mão na perna e reclamando de cãimbra. Quando a atividade física é feita além da conta, a dor logo aparece. O jeito é alongar e massagear o músculo para acabar com a contração. Nahas afirma que para prevenir a dor vale variar o ritmo do treino, não deixando o músculo “esquentar” tanto, além de trabalhar o condicionamento físico.

O cirurgião vascular Walter Campos, do Complexo Hospitalar Edmundo Vasconcelos, explica que a contração acontece devido ao excesso de ácido láctico no músculo. “A pessoa faz muito exercício e ocorre a alteração da obtenção de energia. A energia fica acumulada. Para evitar a cãimbra, é bom a pessoa ter um bom preparo físico”, diz.

O alongamento antes do treino não necessariamente vai evitar a ocorrência de cãimbra. “Alongar vai apenas favorecer a amplitude do movimento e com isso cansar menos, mas não vai evitar este tipo de contração muscular se a pessoa não estiver com um bom condicionamento físico”, diz Nahas.

Outra dica importante é se hidratar. Nahas explica que não é para beber água na hora da atividade física apenas, mas manter o corpo hidratado sempre, assim a incidência de cãimbra vai diminuir. ” A desidratação influencia na questão do ácido láctico e também na tolerância ao aquecimento do músculo”, disse.

A cãimbra também pode acontecer por causa do frio. É a chamada cãimbra noturna, quando no meio do sono a pessoa acorda com o pé ou a panturrilha se contorcendo. ” Quando dormimos a temperatura corporal diminui, assim como a temperatura externa. Para quem tem este tipo de cãimbra com frequência, a solução é usar uma meia”, diz.

Sinal de algo pior

A cãimbra não é uma doença, mas,em alguns casos, ela pode ser oriunda de doenças. ” Além do excesso de atividade física, outros fatores podem ocasionar cãimbra, como doenças venosas, varizes, sequela de acidente vascular cerebral, ou ainda alteração de eletrólise do sangue. Neste último caso, ocorre a baixa de pressão arterial e minerais como potássio e magnésio não são repostos. O músculo reclama”, diz Campos.

O médico afirma que comer banana, peixe ou qualquer alimento rico em minerais antes do treino também não vai adiantar. ” Isso é bobagem. A absorção dos minerais é muito lenta e não vai ter resultado. É preciso uma boa alimentação regular, todos os dias”, afirma Campos.

caimbra

Não há estudos conhecidos sobre o fato, mas acredita-se que todo mundo já teve, tem ou vai ter cãimbra um dia. ” O que ocorre é que algumas pessoas podem ter mais propensão. Um atacante, que corre muito mais que um goleiro, ou um velocista, por exemplo, exigem mais dos músculos e provavelmente sofrerão mais de cãimbra”, diz Nahas.

Fonte: http://saude.ig.com.br/alimentacao-bemestar/2013-10-09/saiba-como-evitar-a-caimbra.html

26. novembro 2014 por admin
Categorias: Sem categoria | Deixe um comentário

← Posts mais antigos