Matriz – Rua Barão de Jundiaí, 199 Lapa – São Paulo

Orçamento por WhatsApp

 (11) 99838-9598

O que é princípio ativo?

Princípio ativo é, de forma resumida, a substância que exerce o efeito farmacológico ou terapêutico de um medicamento.

Também conhecido como fármaco, o princípio ativo pode ser definido como uma substância química que interage com uma ou mais partes do corpo, de modo a alterar um processo fisiológico ou bioquímico existente.

Essa ação pode diminuir ou aumentar a função de um ou mais órgãos, tecidos ou células, mas não pode criar novas funções para eles.

Qual a origem do princípio ativo?

O princípio ativo tem origem em plantas e alimentos, ou seja, já existem em nosso planeta a milhões de anos.

Uma planta ou alimento é composto de inúmeras substâncias, mas apenas uma ou mais vão ter efeito em nosso organismo,

O ser humano foi percebendo o efeito do princípio ativo nas plantas e alimentos ao longo dos anos.

Na idade da Pedra, por exemplo, o homem já percebia que determinadas plantas, ou a mistura delas, tinham ação e poder de curar dores e feridas.

Ao longo dos anos o ser humano fez uso de remédios, misturas de plantas e ou alimentos a fim de curar doenças e enfermidades, mas sem o conhecimento do princípio ativo, substância principal para o efeito do remédio.

Com o tempo, a ciência avançou até ser possível identificar qual substância dentro de uma planta ou alimento é responsável pelo seu efeito farmacológico.

Essa substância é o que chamamos hoje de princípio ativo ou fármaco, que além da descoberta da ação passou a ser possível sintetizar essas substâncias em laboratório.

Os princípios ativos ficaram mais conhecidos com a chegada dos medicamentos genéricos, pois levam o próprio nome da molécula na embalagem.

Qual a diferença de remédio e medicamento?

Ao buscarmos no dicionário o significado de remédio encontramos definições como: “Preparado próprio para combater e curar as doenças e aliviar dores.”

Ou seja, o remédio pode ser um preparo caseiro com plantas medicinais. Mas, mesmo que esse preparo cure alguma doença, não é considerado um medicamento

Diferente do medicamento, para o preparo do remédio não é necessário saber o princípio ativo responsável pela cura, alívio ou desconforto.

Fora isso, remédios não necessitam de controle e aprovação de órgão regulatórios para a sua fabricação, já que podem ser feitos em casa.

Porém, é importante lembrar que remédios, assim como medicamentos, também podem apresentar efeitos colaterais.

Com relação ao medicamento, seu significado no dicionário é: “Qualquer substância usada no tratamento de uma afecção ou doença, ministrada interna ou externamente ao paciente.”

Apesar de ambos terem a mesma finalidade, o remédio é caracterizado por conter apenas o princípio ativo que resulta na cura, alívio ou desconforto.

Porém, quando vamos analisar a bula de um medicamento, notamos que há muito mais substâncias além do princípio ativo em sua composição.

Essas outras substâncias são chamadas de excipientes, que são farmacologicamente inativas, usadas como veículo para o princípio ativo, auxiliando na preparação e estabilidade.

Essas substâncias também são responsáveis por modificação das propriedades organolépticas como: cor, odor e sabor.

Quais os tipos de princípios ativos?

Os princípios ativos ou fármacos podem ser classificados quanto a sua especificidade, a dos fármacos específicos e a dos inespecíficos.

Específicos

Correspondem à maioria dos mais de sete mil princípios ativos constantes no conjunto terapêutico, tais como analgésicos e anti-inflamatórios, agentes cardiovasculares, anti-histamínicos, hormônios, agentes antiparasitários diversos entre outros.

Inespecíficos

São em número bastante reduzidos. Não atuam seletivamente sobre determinados receptores.

A ação farmacodinâmica desta classe depende apenas de suas propriedades físico-químicas, sendo pouco vulneráveis às modificações estruturais.

Entre os princípios ativos inespecíficos mais manipulados temos os hidratantes, antissépticos, cáusticos, emolientes, umectantes, adstringentes entre outros.

É importante lembrar que alimentos e remédios caseiros não substituem o tratamento à base de medicamento.

O remédio ou alimento pode ser usado apenas como um auxiliar no tratamento da doença.

Quando for manipular o seu medicamento é importante se atentar na procedência dos princípios ativos que a farmácia de manipulação trabalha.

Na Phytoart nós trabalhamos apenas com os melhores princípios ativos nacionais e internacionais dos fornecedores mais qualificados do mercado.

Fora isso, todos os princípios ativos são avaliados pelos nossos farmacêuticos para garantir a qualidade antes de ser usados na formulação dos seus medicamentos.

Compartilhe essa publicação

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn

Deixe um comentário.

Sobre a Phytoart

Inaugurada em 1987, a PhytoArt aprimorou seus processos, desenvolveu novos serviços e consolidou-se como uma das mais qualificadas farmácias de manipulação da grande São Paulo e capital.

Publicações recentes

Acompanhe a gente!

AVISO

Prezados Clientes

Devido a problemas externos na rede elétrica (sob responsabilidade da empresa Enel) estamos operando sem o sistema desde sábado. Assim que a energia elétrica for reestabelecida, daremos andamento a todos os atendimentos e orçamentos.

Seguem nossos canais de atendimento:
WhatsApp: (11) 9 9141-7511
E-mail: orcamento@phytoart.com.br